Certo, quem andou usando o Gerador de improbilidade infinita?

Em matéria de 11/05/10 foi mostrado no correio braziliense o caso do aparecimento de uma baleia no Mediterrâneo ao largo de Herzliya. Isso me fez lembrar uma série muito querida por mim, por sua genialidade e carisma dos personagens. Guia do muchileiro das galaxias do autor Douglas Adams (1952-2001), quando ao usar o gerador de improbabilidade infinita para que os tripulantes da coração de ouro possam viajar pelo hiper-espaço e transformam dois misseis em uma baleia e um vaso de petunias. E em queda livre, a baleia, em direção ao solo tem um dos diálogos mais divertidamente filosófico, existencialista que eu já li.

Um acontecimento estranho que me levou para uma lembrança e dica de leitura delirante.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s